Ni No Kuni

mmPostado por

Se você acompanha a minha saga televisiva neste humilde blog, já percebeu que os animes se tornaram um dos estilos que estou assistindo com frequência. Até o próprio Netflix já percebeu e vem me recomendando alguns títulos. Ni No Kuni foi um deles.

Descobri que esta animação, que é um original Netflix, contou com a direção de Yoshiyuki Momose, que esteve em A Viagem de Chiriro, e é derivada de um jogo. O roteiro do filme é original de Akihiro Hino, CEO da da Level-5, empresa criadora da franquia do game.

Ni No Kuni
foto: netflix.com

Vamos, então, de sinopse!

O anime gira em torno de 3 amigos: Yu, Haru e Kotona. Durante a volta de um campeonato de basquete, realizada na escola deles, eles começam a ser seguidos por um ser estranho mas nenhum deles percebe. Haru e Kotona, que são namorados, querem lanchar em um nova lanchonete do bairro mas precisa subir várias escadas para chegar lá, o que seria difícil para Yu, que se locomove por meio de cadeira de rodas.

Por muita insistência de Yu, Haru e Kotona vão a tal lanchonete e depois se despedem, indo um para uma direção diferente. No momento que Kotona está voltando o ser estranho a segue e a ataca. Quando Yu e Haru descobrem e vão ao seu socorro, são sugados para um novo mundo, que parece ser medieval, e nessa nova realidade Yu consegue andar.

Eles partem então, para uma aventura surpreendente, em busca de Kotona e de respostas sobre o porquê eles vão parar nesse lugar, que tem uma ligação com o seu mundo e cada decisão que eles tomam nessa realidade paralela traz consequências para o mundo em que eles vivem.

O que eu achei de Ni No Kuni

Coloque nas configurações para auto-translate em português

Eu achei bem interessante a proposta da história, que é de conseguir viajar entre dois mundos diferentes e o que você faz em um repercute no outro. A narrativa da animação é bem linear e mesmo com essa dinâmica, que pode parecer confusa com os protagonistas indo e vindo, não traz nenhuma confusão para quem está assistindo.

O dilema central de Ni No Kuni, que é decidir se uma vida em seu mundo vale mais do que no outro mundo (não vou falar mais para não dar spoiler) traz uma grande reflexão e também um plot twist no final. Eu fiquei muito surpresa com essa revelação, mas olhando o decorrer da história faz mesmo muito sentido. Também vou dar aqui o meu parabéns aos criadores da animação que eu não suspeitei disso em nenhum momento.

No geral a animação Ni No Kuni cumpre o seu papel de contar bem essa história. Não sei se está fiel à história dos jogos (que muitos filmes vindos de livros decepcionam nesse quesito porque acabam mudando muita coisa) mas por ter roteiro original do CEO da franquia, acredito que não.

Se você já jogou Ni No Kuni, deixe um comentário por aqui falando a respeito, que fiquei curiosa. 😁

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *