Fyre Festival – Fiasco no Caribe: #EuVi

mmPostado por

Imagina você pagar uma fortuna por um festival de música que prometia uma experiência única, com direito a estadia de luxo, comida servida pelos melhores chefs do mundo em uma ilha paradisíaca. Mas quando você chega vê um espaço que mais parece um terreno baldio, com tendas e que você precisa disputar com outras pessoas colchões e comida. Muita gente enfrentou isso durante o Fyre Festival e o fiasco virou documentário pela Netflix.

Fyre Festival - Fiasco no Caribe
foto: imdb.com

Tudo começou quando Billy McFarland, um jovem empreendedor, tinha um empresa e um app chamado Fyre. Esse aplicativo permitia que pessoas pudessem entrar em contato com grandes artistas da música e agendasse shows. Essa ideia chamou a atenção do rapper Ja Rule e os dois juntos, resolveram se juntar para divulgar esse app de forma épica: através de um festival mega luxuoso.

Fyre Festival - Fiasco no Caribe
foto: imdb.com

O lugar escolhido foi as Bahamas e um comercial para a divulgação foi criado onde as modelos mais famosas se divertiam a bordo de iates. Isso com frases de efeito tentando explicar o que é o festival e convidando as pessoas a fazer parte deste evento sensacional.

Em poucas horas as vendas dos ingressos se esgotaram. A expectativa estava lá em cima e a dura realidade gerou frustração, desespero e raiva entre quem gastou muito mas muito dinheiro para isso.

Fyre Festival - Fiasco no Caribe
foto: imdb.com

O documentário  mostra o que uma pessoa com muita ganância, pouca experiência e expertise e zero responsabilidade pode fazer. Com entrevistas de pessoas da equipe do app Fyre e de quem foi contratado para realizar o festival, vimos o passo a passo de uma catástrofe.

Fyre Festival - Fiasco no Caribe
foto: imdb.com

A primeira coisa que observei e fiquei pasma foi o tempo que eles começaram a “planejar” e executar as obras. Fizeram um cálculo que precisaria de pelo menos 12 meses para deixar tudo pronto. As coisas foram feitas em semanas. Só para se ter uma ideia, 45 dias para começar o festival é que o palco começou a ser montado.

E por falar em infraestrutura, não tinha quase nenhuma. Não realizaram um plano viável para banheiro, acomodação e comida. Venderam mais ingressos do que a ilha poderia suportar de pessoas. A ilha merece um caso à parte porque a escolhida tinha pertencido a Pablo Escobar e os atuais donos não queriam que seu nome fosse mencionado. O que fizeram no comercial? Mencionaram Pablo Escobar. Resultado: acordo desfeito.  Em pouco tempo para começar o Fyre Festival tiveram que escolher outra ilha.

Fyre Festival - Fiasco no Caribe
foto: imdb.com

Somando a funcionários que não foram pagos, artistas que também não receberam e que acabaram cancelando e o empréstimo constante de mais dinheiro de seus investidores, que também não receberam, Billy McFarland foi acusado de fraude, sendo investigado pelo FBI e preso. Sem contar as centenas de processos movidos contra ele.

Fyre Festival  – Fiasco no Caribe é um daqueles documentários que parece até ficção de tanto absurdo que você encontra. Sem dúvida é uma história que tem tudo para virar um filme em Hollywood.

Não duvido que daqui a pouco esteja nos cinemas.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão com *