Making Fun: The Story of Funko – #EuVi

mmPostado por

Eu lembro muito bem do dia que comecei minha coleção de Funko Pop. Estava no meu antigo emprego e durante uma conversa entre meus amigos de trabalho, um deles falou de uma promoção que você ganhava um senhor desconto na compra de uma certa quantidade de funkos. Como o preço sairia bem em conta, resolvi que queria a versão fofa da Sininho. E foi um caminho sem volta. 😂

Funko Pop Sininho

Esses dias olhando a grade de documentário do Netflix (eu gosto de assistir a documentários) vi um que justamente contava a história do Funko. Intitulado Making Fun: The Story of Funko, o filme lançado no começo desse ano, apresenta durante uma hora e meia toda a trajetória dessa empresa que nos últimos tempos fez um baita sucesso e tem ganhado colecionadores e fãs ao redor do mundo.

Making Fun: The History of Funko

O começo

Tudo começou nos EUA em 1998 com Mike Becker, que trabalhava nessa época em uma loja de camisetas. Lá conheceu Rob Schwartz e os dois se tornaram grandes amigos principalmente pela paixão que os dois tinham em comum em objetos retrô. Através de Rob, Mike passou a conhecer ainda mais a cultura pop e passaram a viajar pelos Estados Unidos à procura de objetos dos anos 60.

Em uma dessas viagens conheceram Sean Wilkinson e os três decidiram então abrir uma empresa no qual eles pudessem trabalhar esse gosto que eles tinham em comum. Durante uma reunião em um bar decidiram que criariam e venderiam brinquedos bobble heads. Foi aí que nasceu a Funko, que é uma junção das palavras FUN, COMPANY e FUNKY.

Funko Pop

O bobble head do Austin Powers foi um sucesso e as pessoas começaram a conhecer a Funko. Foram 7 anos de bons resultados mas Mike começou a ficar exausto fisicamente e principalmente emocionalmente. Preocupado com sua saúde decide passar as operações da Funko para Brian Moriotti, um grande amigo e colecionador de bobble heads da Funko.

A mudança

Durante os dois primeiros anos sob nova direção as coisas não foram fáceis. Brian não estava conseguindo criar um produto de sucesso até que uma ligação da Warner com um novo pedido mudou as coisas. Brian, inspirado em um brinquedo de pelúcia, resolveu fazer o Batman, o Coringa e o Pinguim com as feições dos pops que conhecemos hoje (com a cabeça grande e os olhos pretos bem destacados) e o Pop! Vynil foi criado.

Funko Pop Tuxedo Mask

Durante uma feira de eventos, os compradores tradicionais do Funko odiaram o produto porque não era bobble heads. Mas um novo nicho havia sido criado onde mulheres e crianças passaram a comprar os produtos. E assim Brian resolveu diversificar um pouco mais os temas do funko, não indo só para o mundo HQ, passando a incluir bonecos de filmes, séries, desenhos animados e também personalidades do mundo da música e dos esportes.

Funko Pop Lara Croft

Aos poucos os fãs mais tradicionais passaram a mudar um pouco de ideia e o Funko Pop estorou nos quatro cantos do mundo. E o resto é história.

O que eu gostei do documentário foi ver principalmente que quando você ama dá aquela energia extra pra fazer acontecer. E que de uma simples viagem entre amigos pode nascer um verdadeiro império.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão com *