Whiplash – Em Busca da Perfeição: #EuVi

mmPostado por

Esse é um daqueles filmes que você fica agoniado e falando “por quê?” umas mil vezes, do começo ao fim. Whiplash, lançado em 2014, chamou minha atenção pela trilha sonora, que enaltece o jazz, mas a partir do momento que você assiste, você meio que esquece devido a tensão que esse longa traz.

Whiplash

A história gira em torno de Andrew, papel de Miles Teller que muita gente o conhece mais pela série Divergente mas que eu lembro pelo filme O Poderoso Agora, um rapaz de 19 anos que estuda em uma prestigiado conservatório de música e sonha ser uma lenda na bateria. Para isso ele tenta fazer parte da banda principal, comandada por Terence Fletcher, interpretado pelo brilhante J.K. Simmons.

foto: imdb.com

Agora você vai entender porque classifiquei Simmons como brilhante (se você conhece o trabalho dele vai concordar comigo). Em Whiplash o ator dá vida ao implacável e até um tanto quanto sociopata Terence Fletcher, que na busca de descobrir a próxima lenda, usa métodos bastantes questionáveis. Ele xinga, maltrata e às vezes até agride seus alunos, que por ter a fama de transformar aspirantes a músicos a músicos com uma carreira sólida e de sucesso, continuam em sua banda.

Whiplash
foto: imdb.com

A parte do brilhante é que logo lembrei de Simmons no papel de Mac MacGuff, pai de Juno, interpretado por Ellen Page, no filme de mesmo nome. Quando ele descobre que sua filha adolescente esta grávida a apoia em todos os momentos, inclusive quando ela decide entregar seu filho a um casal que está tentando adotar uma criança há bastante tempo.

Daí ver Simmons sendo Fletcher, esse professor de música completamente desalmado, e relembrar do compreensível e amoroso MacGuff, a minha única reação e conclusão só seria mesmo pensar o quanto esse ator é brilhante.

Whiplash
foto: imdb.com

Mas voltando à Whiplash. Andrew quer ser um ás da bateria e decide continuar na banda de Fletcher mesmo sabendo dos riscos à sua saúde mental e até mesmo física. Termina um namoro, quase não fala mais com o pai e passa a respirar música, se submetendo aos maus tratos de Fletcher para manter o posto principal de baterista da sua banda.

Whiplash
foto: imdb.com

Whiplash é agoniante de assistir mas é um filme incrivelmente bem contado e atuado. Ele leva ao público o questionamento de até onde você iria para realizar um sonho e se no fim das contas, valeu a pena.

Para quem quiser assistir, o filme está na grade do Netflix.

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão com *