Meu Top 5 filmes de Adam Sandler: #EuVi

mmPostado por

Durante uma conversa com os amigos o nome de Adam Sandler apareceu e sempre percebi uma coisa: tem gente de AMA seus filmes e gente que ODEIA. Um dos meus amigos disse que os filmes de Adam Sandler tem a ver com o seu estado de espírito. Acho que como todo ator/diretor/roteirista tem alguns filmes que são bons e outros que você pensa “aonde ele tava com a cabeça?” Com Adam Sandler não é diferente.

Filmes Adam Sandler

Aí fiquei pensando que tem mesmo alguns filmes dele que se passar na TV eu vou ver sempre, não importa se é pela milésima vez. Isso fez com que eu tivesse a ideia de criar um Top 5 Meus Filmes Favoritos do Adam Sandler e dividir por aqui os meus argumentos.

Vamos lá!

Esposa de Mentirinha

Adam Sandler aqui é um famoso cirurgião plástico um tanto quanto mulherengo que acredita que dessa vez encontrou a mulher dos seus sonhos. Só que uma de suas táticas (bem horrível, diga-se de passagem) é carregar uma aliança de casamento e vir com o papo que está infeliz na relação, vai se divorciar e está à procura de alguém que o faça acreditar de novo no amor (🙄).

Palmer, a mulher que ele acha que está apaixonado, vê a aliança e ele inventa essa história. Mas dessa vez acaba arrastando sua assistente nessa mentira, vivida por Jennifer Aniston, dizendo que ela é sua ex-esposa e que os filhos dela, frutos de um ex-casamento (que no caso dela é verdade), são seus também.

Aí para as crianças concordarem com essa mentira ele leva todo mundo para uma viagem ao Havaí e lá, como Katherine é a única pessoa que ele pode ser quem realmente é e tendo a oportunidade de conhecê-la fora do ambiente de trabalho, acaba descobrindo uma paixão por ela e vendo que o que sentia por Palmer não era assim tão verdadeiro.

O que eu gosto desse filme é a química entre Jennifer Aniston e Adam Sandler e a famosa moral da história que “as aparências enganam”. Já sou fã de Jennifer desde os tempos de FRIENDS então se torna um filme divertido para assistir.

Click

Esse é um tipo de filme que você não imaginaria saindo da mente de Adam Sandler com tamanha carga emocional que traz. Aqui ele é Michael, um arquiteto casado, com filhos, mas um workaholic frenético que quer chamar a atenção do chefe para ser promovido e acaba deixando a vida pessoal, matrimonial e familiar de lado.

Um dia ele entra em uma loja e acaba conhecendo um vendedor que oferece a ele um controle universal capaz de controlar os aspectos de sua vida, incluindo ver o passado e o futuro. Michael parece não acreditar no começo mas vendo que poderia pausar, acelerar e inclusive colocar as pessoas em mudo durante discussões, resolve descobrir como vai ser sua vida no futuro e vê que não vai ser muito bom. Se separa, os filhos mal tem contado com ele e ele se vê sozinho e isolado de todos por conta de sua obsessão com o trabalho. A cena do hospital é de cortar o coração e faz você pensar nas escolhas do seu presente para o futuro.

Gente Grande

Um filme bobo até dizer chega, devo admitir, mas a ideia de ver cinco amigos de infância redescobrindo a amizade depois de anos sem se falar é algo legal de ser ver.

Em Gente Grande, Adam Sandler faz de novo o papel de um cara meio workaholic, mas dessa vez a sua esposa é também, interpretada por Salma Hayek. Os dois têm uma vida afortunada, mas que acabaram esquecendo algumas coisas boas que a simplicidade de quando eles eram crianças tinha.

Durante um reencontro com antigos amigos de infância, Lenny resolve alugar uma casa perto de um lago para relembrar dos bons tempos e tentar resgatar esses valores simples para seus filhos, que só pensam em status. Esse filme mostra que apesar da gente virar adulto, aquela criança que a gente já foi um dia, cheia de sonhos e ideias não some.

Como se fosse a primeira vez

Esse filme, apesar de também ir de vez em quando para um lado mais bobo,  tem uma boa mensagem: “quando você encontra a pessoa que vale a pena, vale a pena fazer ela se apaixonar por você todos os dias”.

Nesse filme Henry (Adam Sandler) conhece Lucy (Drew Barrymore), uma mulher incrível mas com uma história bem complicada. Um dia ela sai para trabalhar e sofre um acidente de carro, fazendo com que sua memória recente fique afetada para sempre e ela não consegue mais guardar situações e momentos dali para frente. Então ela passa a viver o mesmo dia do acidente sempre, tirando a parte do acidente. Com isso seu pai faz de tudo para que ela reviva sempre esse mesmo dia. Acorda com a mesma blusa, tem o mesmo café da manhã no restaurante e sai em direção ao trabalho.

Acontece que Henry aparece nesse cenário e não sabendo a princípio, fica interessado por Lucy. Quando no dia seguinte, ela não reconhece ele, ele acha que tomou um fora mas está decidido a conquistá-la. Ao descobrir o que aconteceu com Lucy decide continuar com a conquista, fazendo com que ela se encante por ele todos os dias, e ele acaba se apaixonando por ela.

É aquele filme que faz você pensar que a rotina de um relacionamento pode às vezes esfriar as coisas mas quando a pessoa vale a pena, o amor sempre fala mais alto e a vontade de estar apaixonado, como se fosse a primeira vez, acaba sempre resurgindo.

Espanglês

Essa é mais uma surpresa de Adam Sandler devido a delicadeza e complexidade de seu roteiro. Assim em Como Se Fosse a Primeira Vez, Espanglês fala sobre a fragilidade dos relacionamentos e como pequenas coisas podem ser tóxicas e botar tudo a perder.

Aqui a gente conhece duas histórias: a de Flor, interpretada por Paz Moreno e a de John, interpretada por  Adam Sandler. Flor é uma imigrante mexicana que está tentando oferecer à sua filha uma boa educação e boas oportunidades de vida nos EUA. John é um chef renomado, casado com Deborah e pai de duas crianças, um menino e uma menina.

A vida dos dois se cruzam quando Deborah está à procura de uma governanta para sua casa. Ao ser contratada para o cargo, Flor percebe que o contato da sua filha com esse novo mundo está fazendo com que ela fique deslumbrada e esqueça dos valores e de suas origens. Por outro lado John está passando por um casamento conturbado, com uma esposa ausente e controladora e, quando descobre que Deborah está tendo um caso, começa a buscar em Flor consolo e afeto, que pode levar também a uma traição por parte dele.

Eu gosto desse filme ao mostrar que atitudes e decisões muita das vezes tomadas automaticamente, outras vezes sem pensar podem mudar completamente, para bom ou para ruim, o rumo de nossas vidas.

Preciso concordar que algumas das criações de Adam Sandler vão para aquela comédia blockbuster e tem algumas piadas meio sem noção, que podem beirar para o ofensivo. Mas algumas vezes ele acerta. Uma coisa que também aprendi é que nada é 8 ou 80. É preciso ver nas entrelinhas e nelas você pode encontrar coisas surpreendentes. 😉

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão com *