Ramiro Mart & Goribeatzz – Áudio Mensagem: #EuOuvi

mmPostado por

Rap e hip hop são dois estilos que não faziam parte do meu cotidiano musical. Nesses últimos tempos e por influência do meu amigo Casé, que escreve suas resenhas sonoras por aqui, estou ficando mais familiarizada.

Lembro que no final do anos 90, assistindo à MTV, entre um clipe pop e outro pude conhecer a rima e os beats de algumas canções de Jay-Z, Tupac, Usher, Eminem, Racionais e cia, mas confesso que acabaram não fazendo parte da minha coleção de CDs que levava para escola para escutar no recreio com a galera.

Anos se passaram, o interesse pelo jazz, blues e soul music cresceu e o rap e o hip hop acabaram embarcando junto nessa. Robert Glasper, que também conheci recentemente e fiquei fã, até explica em um vídeo bem bacana que o jazz seria “a mãe e o pai do hip hop”.  É interessante quando ele fala o porquê: “os dois nasceram da opressão. Os dois são, sabe, músicas de protesto”.

Então era inevitável que quando Casé começou a escrever para este blog e apresentar os sons que ele estava escutando, eu teria vontade de escutar também. Primeiro foi o Kamau depois vieram Ricon Sapiência, Black Alien e agora Ramiro Mart e Goribeatzz.

O modo como eu tive o primeiro contato com a música do MC e do beatmaker foi engraçado. Estava em Botafogo, resolvendo algumas coisas burocráticas, quando vejo um post do Facebook de um amigo em comum meu e do Casé chamado Jonas. Lá ele falava que tinha curtido o trabalho do Goribeatzz para o álbum Áudio Mensagem, feito em parceria com Ramiro Mart, e Casé falando das letras de Ramiro.

Eu, curiosa como sou, decidi escutar o som do Goribeatzz: achei sensacional! Depois fui no Spotify catar o álbum Áudio Mensagem. Quando percebi, tinha escutado todas as músicas enquanto estava resolvendo as coisas em Botafogo. Conclusão: achei duplamente sensacional!

Vou então apresentar essa dupla que fez parte da trilha sonora daquele meu dia. Nascido em Volta Redonda, no Rio, Ramiro Mart começou a fazer suas rimas na adolescência, quando aos 13 montou seu primeiro grupo. O rapper cresceu e sua paixão pelo rhythm and poetry só aumentava.

Assim acabou criando o Selo Studio Setor e percorrendo uma boa estrada nesse mundo, onde já dividiu os palcos com nomes conhecidos do rap nacional como MV Bill, Black Alien e Haikaiss. E essa trajetória já rendeu alguns bons frutos com o EP Adverso, de 2013, o álbum Vltra Vida, de 2014, outro EP, o Artepressão, de 2015, o álbum Áudio Mensagem, de 2017, e Tetriz, seu mais recente trabalho também em parceria com Goribeatzz e com o MC Materia Prima.

O rap de Ramiro Mart
foto: facebook.com/ramiromart

Leonardo Mannarin, a.k.a. Goribeatzz, é também nascido no Rio e está levando a batida do rap para todo os cantos do Brasil. A influência do boom bap é marcante e o próprio Goribeatzz já declarou em algumas entrevistas que essa é a vertente que mais gosta de ouvir e trabalhar. Recorri à uma ajuda de quem entende e encontrei essa definição bem completa da Genius Brasil:

Originário de NY, o boom bap é o estilo de rap mais conhecido mundialmente, principalmente devido à famosa Golden Era. As produções, em geral, são simples, compostas por um loop de sample com a bumbo bem evidente. Aqui no Brasil, foi adotado principalmente em São Paulo, mas não se manteve exclusivo à cena desse estado.

Os beats do rap e do hip hop de Goribeatzz
facebook.com/goribeatzz

Vale a pena citar Consumação Mínima, de 2016 e lançada pelo Selo Studio Setor. A proposta do beatmaker era desafiadora: produzir um álbum inteiramente instrumental, sem a participação de um MC. Ele procurou por discos esquecidos em sebos e juntou esses samples com uma batida mais eletrônica. A mim já impressionou logo na primeira música, Retrato.

Sua parceria com Ramiro Mart é de longa data e dá para perceber essa sintonia no Áudio Mensagem. O título do álbum é uma analogia de todo o processo de construção das músicas e como foi para encaixar letra e som. Acho que até a capa é uma alusão a isso com o retrato de Ramiro e Goribeatzz em partes para gerar o todo.

As letras de Ramiro falam da vivência e da luta do MC em levar o rap aos quatro cantos do Brasil. E para acompanhar a rima de Ramiro, os beats de Goribeatzz, tem uma pegada mais intensa mas que você percebe que foram feitas para você prestar atenção no que o MC tem a dizer. Percebi algumas coisa de jazz por aqui e por acolá que acredito que contribuíram para que o discurso entrasse na minha cabeça e por lá seguisse seu flow.

Se você ficou curioso(a) em ouvir Áudio Mensagem tem no Spotify. 😉

E se você ficou com vontade de ver esses beats ao vivo, vai rolar um show do Gortibeatzz no próximo dia 4, em Botafogo (clique aqui para conferir o evento). Coincidentemente, o ponto de partida para eu escutar tudo isso. 🙂

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão com *