TOP 5 Músicas de John Mayer: #EuOuvi

mmPostado por

Essa semana teremos 2 posts de #EuOuvi por uma razão, que para mim é muito especial. Hoje o John Mayer fará um show no Rio de Janeiro e pela primeira vez vou vê-lo ao vivo.

John Mayer em Curitiba. foto: facebook.com/johnmayer

Lembro muito bem a primeira vez que escutei o som de John (faz mais de 10 anos que ouço suas canções então temos já temos uma proximidade, rs). Foi assistindo ao clipe de Your Body is a Wonderland. Quando ouvi a suave e cativante melodia, junto com uma voz meio rouca, doce e tranquila, foi amor à primeira ouvida.

De lá prá cá foram CDs comprados, músicas adicionadas no Spotify e boas recordações embaladas por suas canções. Sem contar, claro, que ele é simplesmente SENSACIONAL na guitarra.

John Mayer em São Paulo. foto: facebook.com/johnmayer

Seu estilo mistura um pouco de rock, com um tanto de blues, umas pitadas de pop, folk e soul music. É a combinação perfeita para os meus ouvidos e sei que de muita gente também. Tanto que tive muita sorte em conseguir o ingresso para o show de hoje. Eles se esgotaram muito rápido!

E para celebrar esse dia bem incrível, claro que teria um top 5 das minhas músicas preferidas de John Mayer.

Bigger Than My Body

Essa já apareceu em um outra lista feita por mim, chamada Top 5 para Cantar. Para mim essa canção é um hino para aqueles que querem realizar seus sonhos.

Someday I’ll fly
Someday I’ll soar
Someday I’ll be
So damn much more
Cause I’m bigger than my body
Gives me credit for

A letra foi escrita logo depois que John voltou de um show do Coldplay e fala sobre sua vontade de criar músicas incríveis, iguais aos artistas que ele admira como Steve Ray Vaughan e Pearl Jam. A música faz parte do álbum Havier Things (2003), antecessor do álbum que lançou o cantor/guitarrista/compositor para o mundo, o Room for Squares (2001).

83

Sabe aquela música boa de ser ouvir enquanto você tá em uma rede ou olhando a paisagem da janela de um ônibus ou carro? 83 é assim. Ela foi escrita pelo próprio John e fala como as coisas era mais simples quando ele era uma criança.

And these days
I wish I was 6 again
Oh make me a red cape
I wanna be Superman

Oh, if only my life was more like 1983
All these things would be more like they
Were at the start of me
Had it made in 83

Only Heart

Esse tem o solo de guitarra mais arrepiante e incrível que já ouvi. E a letra é meio que uma declaração de amor e um ultimato ao mesmo tempo. Sabe quando você percebe que a pessoa tá a fim de você mas não embarca junto por receio ou sei lá o quê? Ou quando você percebe que na relação a dois o amor parece ser só seu?

Em Only Heart, John diz basicamente: “eu tô a fim, eu vejo que você também tá, a gente vai ser feliz junto mas se você não mudar, eu não vou esperar por você e vou encontrar quem queira”.

I adore you but there’s a hole in the cup that should hold your love
If you let me leave
I swear I never will

Remember now you
You’ve got my only heart
Yeah, you got my only heart
Yeah, you got my only
Only heart

Love is a verb

E por falar em amor, Love is Verb é uma canção linda no violão que fala como o amor é fácil. E que ele se manifesta nas ações do dia a dia. Não precisa daquelas declarações/textões no Facebook ou aqueles eventos gigantes planejados para depois postar no Instagram.

É lembrar da pessoa e trazer seu doce favorito quando estiver voltando pra casa. É ajudar nas tarefas de casa. É ver o seriado preferido dos dois no Netflix enquanto um faz um cafuné no outro. É simples. É só amar.


Love is a verb
It ain’t a thing
It’s not something you own
It’s not something you scream

When you show me love
I don’t need your words
Yeah love ain’t a thing
Love is a verb
Love ain’t a thing
Love is a verb

Everyday I have the blues

Para finalizar uma música cuja sonoridade e letra traz uma intensidade que a transforma em algo bonito de se ouvir.  É aquele típico blues, que traz uma tristeza que você percebe em cada letra e em cada nota e o resultado emociona.

A canção é da década de 30 e foi regravada por John para o CD de músicas ao vivo chamado Where the Light Is: John Mayer Live in Los Angeles. Muitos dizem que ela foi ouvida primeiramente em uma apresentação feita pelos irmãos Pinetop e Milton Sparks. Desde então já foi regravada por grandes artistas como B.B. King, cuja versão ganhou um Grammy Hall of Fame.

Oh, nobody loves me
Nobody seems to care
Yes, nobody loves me
Nobody seems to care
Speaking of bad luck
And trouble
Well you know
I had my share

Estou muito ansiosa pelo show e em breve terá um post aqui. 😉

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Salvar

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão com *