Festa de 1 ano da MALHA: #EuFui

mmPostado por

No último sábado o MALHA completou 1 ano de existência com uma baita festa, aberta ao público. Eu já falei desse projeto por aqui quando fui no lançamento de sua primeira pop up store no Rio Design Leblon (para quem não conferiu é só clicar aqui) e agora vou levar você a conhecer o QG. Preparem-se que vai ser uma viagem e tanto!

Vamos lá então. O MALHA nasceu de uma iniciativa de Herman Bessler e André Carvahall de criar um espaço onde novas marcas poderiam formar um casulo onde elas se preparariam para virar poderosas borboletas e voar por esse mundo competitivo que é o mercado de moda. Para entender ainda mais a proposta do MALHA é preciso conhecer um pouco mais de Herman e André. Herman é fundador e CEO do Templo, um espaço de coworking, que tem duas unidades na zona sul do Rio, e que oferece, como o nome diz um lugar para que as pessoas possam trabalhar com maior motivação. André Carvahall, por sua vez, respira moda há bastante tempo, uma vez que já foi gerente de marketing e conteúdo da Farm por quase dez anos.

Com toda essa bagagem e talento para entender de negócios e branding, Herman e André resolveram se juntar e criar o MALHA. Localizado em São Cristóvão, um dos grande pólos da moda carioca onde se concentram fábricas e escritórios de várias marcas conceituadas, o espaço é uma Torre de Babel muito bem planejada e harmoniosa.

Eu sempre tive curiosidade em visitar o MALHA e quando entrei já dei de cara com um ambiente com vários containers para cada marca residente. O mais legal é que além de oferecer ferramentas para ajudar essas marcas a crescer e ganhar espaço no mercado, o MALHA é uma espécie de ecossistema que abriga tanto empreendedores, fornecedores e  produtores, querendo propor uma moda com propósito, pensando no lado social e sustentável. Ou seja, pensando no futuro.

Pois bem. Cheguei lá e vi logo na entrada o manifesto da MALHA e com um quadro bem legal onde as pessoas pegariam linhas coloridas e traçariam, o que para elas, as fariam pensar, mudar, ser felizes, criar ou irritar. Andando mais um pouquinho você encontra todos os containers com as marcas e uma fábrica ao fundo para colocar a mão na massa e dar vida às criações e coleções.

À direita um palco com escadas e almofadas onde presumi ser a área de workshops. Para a festa além da apresentação das marcas e do lançamento da nova edição da revista de moda independente A Lagarta, um lugar onde as pessoas compravam discos e livros e também para relaxar com massagens oferecidas pela Dermage (que foi incrível, diga-se de passagem).

Seguindo mais à frente tinha uma passarela para um desfile que ocorreria no final da tarde e acima uma pick up onde o DJ comandava a festa com uma mistura sensacional de rap, hip hop e música brasileira. Tinha uma galera fazendo altas performances onde tudo que conseguia  pensar era: “queria muito saber fazer esses passos”.

Cheguei lá no começo da tarde e não tinha almoçado. Com a fome chegando fui para a área do refeitório e experimentei UM DOS MELHORES HAMBÚRGUER QUE JÁ COMI NESSA VIDA! ( o do TT. Burguer tem um lugar cativo no meu coração e estômago ). Os responsáveis por essa descoberta gastronômica foi a equipe do Verdin que oferece o almoço e o lanche para os residentes do MALHA. O hambúrguer feito de frango, levava cebola caramelizada, parmesão e outros temperos que juntos deram super certo. E para acompanhar um suco de abacaxi com hortelã e capim limão que estava uma delícia. Nunca tinha pensado em acrescentar capim limão no suco de abacaxi com hortelã. Parabéns pela ideia, Verdin!

Foi um sábado inspirador. Eu consegui ver na expressão das pessoas a vontade de fazer acontecer e a alegria que era encontrar um espaço que acreditava também no sonho delas. Desejo sucesso a essas novas marcas e vida longa ao MALHA.

Para quem quiser conhecer mais sobre o MALHA e até marcar uma visita, segue o site deles: www.malha.cc

One comment

  1. Pingback: Verdin: #EuFui

Deixe seu comentário

Seu e-mail não será publicado. Os campos obrigatórios estão com *